segunda-feira, 24 de março de 2014

A Vida de Glei Guiomarcio







A Vida de Glei Guiomarcio:

  Porque todos os do povo que saíram estavam circuncidados, mas a nenhum dos que nasceram no deserto, pelo caminho, depois de terem saído do Egito, haviam circuncidado.
Josué 5:5

      Nasci no dia 1º de agosto do ano de 1975, fui gerado em um "puteiro", mas isso não muda o fato, de que eu sou separado para JEOVÁ, desde o ventre de minha mãe(Galatas 1:15);logo após o meu nascimento, as pessoas que me conheceram quando nasci, me contaram que fui "abençoado" com GONORRÉIA" nos olhos, pensaram que eu ficaria cego, não fiquei, pois Deus sabe que eu precisaria muito da minha visão para examinar a Bíblia para entender algumas coisas...De uma coisa tenho certeza, o Deserto que Deus me colocou eu vou sair dele, pois todos que nascem no deserto tem direito de sair dele, independente das murmurações nos momentos de provações(Js.5:5), agora o deserto que eu mesmo me coloquei é outra história...

 

      No começo do ano de 1986 meu padrasto Filó Gonio Ferreira da Silva(FILHO DE ELIEZÉR GONÇALVES DA SILVA) abandonou definitivamente minha mãe,que tinha 5 filhos sendo uma com idade inferior a um ano(Tatiane),6 com a que suicidou, aos 12 anos,se chamava Cátia era a mais velha, eu(tínha 10 anos, parecia ter 7) fiquei morando com Filó e sua outra mulher e meus irmãos por parte de mãe(Nubia,Wesley, Rubia e Tatiane)nunca entendi isso, ficar na casa de Filó, uma vez quem ele não era meu pai, pois tinha pessoas decentes que queriam "cuidar" de mim, minha mãe não deixará, no entanto, deixou eu morando na casa de um psicopata, pois só levou a minha irmã Tatiane,porque ainda estava amamentando-a, e foi com morar em "bar" com uma comadre dela.


No mês de fevereiro de 1990, morávamos em Santa Helena de Goiás, eu estava andando em cima do portão do CSU, quando passava por lá eu sempre fazia isso, mas nesse dia eu cai e bati a coxa no muro, quando fui tentar me levantar não consegui, havia fraturado minha perna; com isso, fiquei 6 meses sem andar, não tive muleta, nem mexia com a perna, minha perna endureceu, quando fui pisar no chão dava choque no meu pé; depois de alguns dias, ainda mancando muito, Filó mandou eu ir vender picolé na rua, pra ajudar nas despesas, ele disse que nós comíamos muito, eu estava com 15 anos parecia ter 12; em dezembro de 1990 criei coragem e falei para o meu padrasto que não iria mais vender picolé, iria trabalhar de servente de pedreiro, consegui um serviço para "aterrar" uns cômodos para "in-cimentar", ás 11 horas o pedreiro foi embora e eu fiquei mais um pouco pra terminar, enchi o carrinho com bastante terra, quando fui carregar o carrinho só senti um estralo nas costas, não conseguia mais nem mexer com o braço e sentia muita dor, fiquei com vergonha de contar a verdade e falei que tinha caído no asfalto.No mês de janeiro de 1991, meu padrasto me falou que era pra eu ir morar com minha mãe, porque ele não iria ficar "tratando" de vagabundo que não era filho dele, eu ainda testava com 15 anos, mas já "parecia ter 13", me colocaram no ônibus, me deram apenas meu registro de nascimento e uma carta explicando porque eu estava indo embora, a qual eu li,tinha várias mentiras rasguei, eu mesmo pedi para Senhoria para ficar lá até arranjar um serviço,minha mãe já morava de favor, apesar que ela trabalhava no bar,"lavava e passava roupas e cozinhava, recebia um salário minimo, a dona da casa era minha madrinha(Senhorinha) de "batismo de fogueira", mas eu não a conhecia. Era em um "bar na beira da rodovia". Por ter muitos filhos de fazendeiros, lá tinha uma extensão de uma escola, fiz umas provas e me matricularam na 5ª séria, pois eu não tinha histórico escolar, e também não tinha terminado a quarta série,devido que Filó mudava de cidade de "mês em mês", também não tinha histórico escolar, pois meu histórico havia ficado em uma dessas cidades que haviamos morado, eles não se preocuparam em pegar . Estudei o primeiro semestre, daí fui trabalhar numa fazenda de plantação de melancia; meu primeiro, serviço, foi "molhar" uma horta; trabalhei uma semana cavando buraco, para fazer uma Extensão de água, para molhar a lavoura de melancia, mas "rachei", daí fui trabalhar na preparação da terra para a plantação; trabalhei desde plantar até colher, de julho a dezembro,mas não voltei pra escola, ironia é que por, eu já ter notas suficiente pra ser aprovado não me atribuíram faltas, agora eu tinha um histórico escolar começado na quinta série.Em janeiro de 91 fui para Nova Xavantina, arrumei serviço de balconista em uma pizzaria, onde eu também passei a morar, um detalhe, perguntei por serviço em diversos comércios, para alguém que era muito tímido,foi difícil, mas não tinha outra opção.Trabalhei lá até o começo mês de julho; depois vim para Barra do Garças, arrumei serviço de garçom em uma pizzaria, morava em um quarto de aluguel, no final do ano, chamei minha mãe para morar em Barra do Garças, eu tinha economizado algum dinheiro, alugamos uma casa meia_aguá, passou a morar eu minha mãe e minha irmã que moravam na casa de Senhorinha.No ano seguinte, Filó mudou para Barra do Garças, no mesmo bairro que morávamos.
Um certo dia a madrasta dos meus irmãos, quando lavava as roupas dos meus irmãos notou a calcinha da minha irmã(Rúbia) suja de sangue ela estava com doze anos,depois disso, ela acabou contando que estava tendo relação sexual com um tal homem.Filó me chamou para matar esse homem, porque isso não deveria ficar assim, concordei com ele, eu sabia que ele já tinha matado muitas pessoas, não seria difícil, porém passado alguns dias,a mulher de Filó, chamou eu e minha mãe em sua casa, porque ela tinha descoberto, algo.Ela disse que quem estava tendo relação sexual com minha irmã era o Filó, minha mãe, em desespero exclamou, "minha filha de novo", pensei "de novo", então Filó chegou, e disse que se o denunciasse ele mataria todos, "todos ficaram com medo", daí ele e sua mulher foram embora para outra cidade.De tanto eu insistir em perguntar minha mãe me contou que ele, tinha feito a mesma coisa com minha irmã que suicidou.Então eu consegui entender porque minha irmã que suicidou tinha tanto ódio de Filó, até então, eu pensava que era pela sua ruindade, pois ele nos espancava muito.Depois, minha "madrinha" me contou que ele abusava da minha irmã desde os 8 anos dela, ela começou, a ter problemas físicos, por isso minha mãe tinha mandado ela morar com um irmão dela,depois disso, minha conversa com minha mãe passou a ser muito restrita(só consegui perdoar plenamente, minha mãe 8 anos após sua morte,em 2006, recebi o meu salário em uma sexta feira, gastei tudo usando pasta base de cocaína na sexta, fiquei o sábado e domingo sem ter nada pra comer, sozinho, de noite fui "catar latinhas " pra vender e comprar comida, pedir uma vez ," até vai,a dor da fome, é tão intensa, que se vence o orgulho, daí você acaba pedindo, quando você dorme com muita fome, só sonha com coisas de comer",olha que já passei mais de três dias sem comer coisa alguma tantas vezes, mas eu tinha o mês todo pra sobreviver,"catei latinha nos bares por duas noites, sábado e domingo, eu ouvia as pessoas que me "conhecia" dizer o que a "droga" faz com uma pessoa, na segunda fui em uma pizzaria de nome Choopana e consegui um serviço de garçom, para começar na terça; na segunda não comi nada, na terça por volta das 22:00 horas quando fui jantar, saia lágrimas dos meus olhos quando eu comia; eu jamais chorei de fome, mas chorei, quando comia, porque em muitas situações quando a fome chegou a um ponto praticamente insuportável, o alimento apareceu muitas vezes de forma misteriosa; trabalhei o mês de janeiro nessa pizzaria, o pagamento era feito no final da noite, com isso, eu recebia e já ia comprar a pasta base de cocaína. Tinha uma professora de nome Ivete que iria para Goiânia, em fevereiro, já era sabido de todos a minha situação, ela falou comigo sobre uma internação em um centro de recuperação; pensei,tenho um emprego de professor, consegui aprovação no Mestrado em Matemática da UnB e conclui um semestre desse curso, tenho treinamento militar, estou vivendo dessa forma, agora uma mulher com cinco filhos, sem ter profissão,sem pai, sem mãe,analfabeta, sem saber que podia contar com JEOVÁ DEUS, pois depois eu me lembrei de ter falado para minha mãe, assim: mãe não entrega nós para o Filó, a senhora sabe o tanto que ele é ruim, eu vou ajudar nas despesas, vendendo "laranjinha", e Deus vais nos ajudar; Amós 3:7, Certamente JEOVÁ Deus, não fará coisa alguma sem avisar seus segredos, por seus servos, os profetas; então, ela foi avisada, mesmo assim, não soube fazer a escolha certa...). Em 1994 fui aceito para servir o exército,engajei nos anos de 95 e 96, fiquei morando no quartel por causa da mágoa que fiquei com minha mãe,mas ajudava nas despesas,porém fiquei alheios aos problemas,Rúbia não conseguiu superar o trauma e saiu de casa, estando com 14 anos, para viver "na rua". No ano de 93 fiz a sexta e a sétima series,em 94 devido ser regime de internato no exército fiz apenas a 8ª série.Nos dois anos que fiquei engajado(1995 e 1996) conclui o Ensino Médio.
Nos dois anos que fique engajado "guardei dinheiro" e comprei um carro.Certo dia participando em um bar da "despedida devido a baixa dos recrutas", deixei dois dos recrutas dormirem na casa que eu e um colega de serviço alugávamos, após eu dormir os recrutas pegaram a chave do meu carro e saíram.No outro dia ao acordar, cadê o carro, ao chegar no quartel já me deram voz de prisão. Na noite anterior os recrutas "bateram" com o carro e na hora do desespero acabaram ligando para o quartel.Tinha agora uma ocorrência militar contra mim.Quando interrogado eu falei, "eu nem estava no carro, se eu comprar um avião, tenho que ter brevê, pois tinha várias acusações registradas, uma delas era dirigir sem ser habilitado"!O comandante de companhia falou,o que importa é o que esta anotado no livro do "oficial de dia,fiquei vários dia preso, esperando sair o resultado,oficial, como estava demorando "eles", resolveram me liberar a parte do dia no final de semana, mas a noite eu deveria estar lá, devido a alguns contra tempos acabei não indo no domingo à noite, pensei faltar um pernoite, não dá nada, porém,além da falta do pernoite o oficial de dia registrou tantas coisas, que virou caso de uma nova cadeia.Voltei para a "cadeia" na segunda feira,agora já eram duas "transgressões",na sexta saiu o resultado, duas cadeia fui para o comportamento "mau", todos falavam que eu seria expulso.Estava cursando, o último semestre do ensino médio, e tinha feito a inscrição para o vestibular do curso de matemática,mas nos dias do vestibular eu estaria preso, falei para o com o comandante de companhia, ele conseguiu que me liberassem, por três dias para eu realizar as provas do vestibular e depois eu "cumpriria esses 3 dias de cadeia", as provas, domingo, segunda e terça, aproveitei e fui na escola que também estava no período de provas, a noite, e fiz quatro provas,fui aprovado nessas,as demais eu fui para recuperação.Na cadeia dobrei os joelhos, eu falei para Deus, que eu só não queria ser expulso e ser aprovado no vestibular, quanto aos prejuízos financeiros pouco me importava,e no futuro Ele desse "coisas" que o diabo não conseguisse roubar(jamais esqueça o que você diz para Deus, porque Ele não esquece e também o faz lembrar).
Não fui expulso, mas fui na Campus Universitário e meu nome não estava na lista dos aprovados.Pensei não foi dessa vez.Passado alguns dias, ainda muito estressado, resolvi fazer uma viagem, fui ao Banco do Brasil retirar o dinheiro que eu tinha na caderneta de poupança, ao chegar no Banco, um soldado do exército, que ficava responsável pelas correspondência me viu, em falou que tinha uma carta param mim, disse que não sabia onde era minha casa, mas estava com ela, era uma carta da UFMT me convidando a fazer minha matricula no curso de Matemática, já tinha um mês que as aulas tinham começado.
Em 1997 quando eu sai do exército, só morava com minha mãe Tatiane, Núbia tinha casado, Wesley "encontrado outra família" e Rúbia não se tinha noticia.Em 1998 minha mãe adoeceu de câncer no pulmão, e morreu no mesmo ano.Depois que minha mãe morreu, Tatiane já não respeitava ninguém, passou a viver de cidade em cidade, com suas várias amigas de "balada"...
__

_______

 E disse JEOVÁ: se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.
Números 12:6

      Lembranças: Outro dia eu me lembrei de uma situação q me aconteceu quando tinha onze anos. Morava em Redenção do Pará, com eu padrasto(Filó Gonio Ferreira da Silva), madrasta, 3 irmãos por parte de mãe, sendo eu o mais velho, pois a minha irmã de 12 anos havia, suicidado(depois eu fiquei sabendo porque ela suicidou,Filó abusava sexualmente dela desde que ela tinha 8 anos) a alguns meses, morávamos em uma chácara retirada da cidade uns três km. Um dia o diabo(Filó) mandou eu ir comprar um bujão de gás na cidade de bicicleta, eu tinha 11 anos, parecia te 8, para eu andar na bicicleta tinha q subir em alguma coisa, depois q comprei o gás e amarrei o butijão de gás na garupa, cai várias vezes da bicicleta, numa dessas quedas o cilindro da bici. bateu na minha cabeça, eu chorava, as pessoas, olhavam falavam:_você não vai conseguir, você é muito pequeno, mesmo chorando, respondia, eu consigo, quando cheguei depois de alguns minutos, nem me lembrava mais q tinha sido tão difícil....Quero ser assim novamente!
Rúbia, estava com 5 anos, ela quase todo dia urinava na cama , quando estava dormindo, quando amanhecia o dia, Filó, sabendo disso a espancava muito; gritava com todos, como castigo colocava Rúbia para lavar as vasilhas, ela não conseguia nem carregar as vasilhas, deixava tudo cair no chão, Filò a espancava novamente. Um certo dia minha mãe chegou na chácara para nos visitar, estava carregando Tatiane no colo, Filó mandou ela ir embora, ela não quis ir, Filó pegou um pedaço de pau, e começou a bater em minha mãe, Filó era grande e forte, minha mãe pequena, e ainda estava segurando Tatiane, suportou as pauladas por um momento, mais logo começou a chorar e correu, Filó correu atrás lhe dando pauladas, meus irmãos, gritavam e choravam de tanto desespero, eu fiquei imobilizado, tinha mais medo de Filó do que do próprio diabo, pois o diabo eu ouvia as pessoas dizerem que ele era ruim, agora Filó eu via a sua ruindade...
...EU SEI PARA ONDE VOU
Filho meu, ouve a instrução de teu Pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe,
Provérbios 1:8
Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe.
Salmos 22:9 


ADORADOR
Não te encurvarás nem servirás a nenhuma imagem, porque Eu JEOVÁ teu deus sou um Deus zeloso... ... ...Exôdo,20.5


PERFEITO ADORADOR
Porquanto ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vaca;
Todavia eu me alegrarei em JEOVÁ; exultarei no Deus da minha salvação.
Habacuque 3:17-18

E disse JEOVÁ a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, íntegro, temente a Deus, e que se desvia do mal.
Jó 1:8


Vendo, pois, Hamã que Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava diante dele, Hamã se encheu de furor.
Ester 3:5 


EXEMPLO DE VIDA
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
2 Timóteo 2:15


DEUS NÃO NOS ESQUECE


Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.
Isaías 49:15

 

 

Se formos infiéis, Ele permanece fiel; não pode negar -se a si mesmo.

   2Timoteo,2:13


     Achei por bem registrar o por que eu abandonei o Curso de Mestrado na UnB, enquanto tenho uma lembrança clara dos motivos.

   Quando todo o   dinheiro que economizei, no Quartel como Soldado Engajado, foi de uma certa forma roubado, não mais consegui fazer qualquer economia de dinheiro, pensei as pessoas me roubam, me enganam, é porque não tem ninguém de confiança para me orientar, de agora em diante vou me dedicar apenas aos estudos, pois isso não poderá ser roubado.

   Quando fiz o terceiro e quarto ano da faculdade, sobrevivia apenas com a bolsa monitoria, como atrasava muito, eu me alimentava de segunda a sexta na lanchonete da faculdade, comendo apenas um x-salada por dia,  quando recebia a "bolsa" pagava a lanchonete, com isso, não tinha roupas decente para vestir, fui e voltei a pé para a faculdade, algumas vezes, quase 5km,algumas pessoas chegaram até me perguntar se eu estava com HIV, devido ao tanto que emagreci, eu pensava, não bastasse as lutas, ainda ter que ouvir isso.

   Mas, apesar de tudo isso, dos alunos e até professores contratados da UFMT-ICLMA, que fizeram o Seletivo para o mestrado da UnB, eu fui o único  que consegui aprovação naquele ano, com direito a bolsa de estudo(724 reais em 2001).

  


porém, na classificação para morar nos apartamentos da universidade para estudantes, minha classificação foi 2, onde o principal item dos critérios são renda  familiar, eu observei que tinha "filhinhos de papai", morando nos apartamentos, eu que não ganhei nem sobrenome, quanto mais família, fiquei revoltado com isso, então cometi um erro, grave, questionei a justiça de JEOVÁ(Jó 40:8), ou melhor, vi Ele, como um Pai parcial, com preferencias com visão humana; caso tivesse algum imprevisto não havia ninguém para me ajudar; mas se eu soubesse que Ele se mantém fiel, mesmo quando nos tornamos infiéis(2Tm.2:13), tudo teria sido diferente; ainda assim ter que pagar aluguel, pois com essa classificação só conseguiria vaga nos apartamentos para estudantes, lá pelo final do Curso .

   Amós,3:7:" Certamente JEOVÁ Deus, não fará coisa alguma, sem revelar seus segredos aos seus servos, os profetas" .Um colega, de nome Mário me disse, ainda no começo do Curso, em março de 2001: "Glei, você deveria fazer uma "poupança", caso dê algo "errado", com sua "bolsa", não dei a mínima importância".

  

   No começo do mês de novembro, fiquei sabendo que o dinheiro da bolsa tinha sido pago, fui ao "banco", não tinham depositado  nada na minha conta, liguei no setor responsável pelo pagamento, me falaram que o Departamento de Matemática tinha mandado "bloquear" ; no dia anterior eu tinha lido na bíblia o texto onde relatava a loucura do rei Nabucudonosor e tive sonhos horríveis agora isso acontecendo;lembrei de minha irmã Rubia que Filó mantinha relação sexual com ela, a qual saiu de casa para morar na "rua", com idade inferior a 14 anos, isto é, esse fato, despertou dores antiga; tinha ainda um professor da UFMT-ICLMA, por nome Carlos,qual pensava ser meu amigo, que cursava o doutorado e fazia parte do "colegiado da Pós-Graduação", imaginei que essa decisão havia passado pelo "Colegiado", pensei, Carlos não teve nenhuma  consideração comigo, não me falou nada sobre isso...", ainda tinha o porém, que nos finais de semana quando eu não estava me embriagando, e "correndo atrás de mulheres", quando tinha dinheiro; quando não tinha estava no Laboratório de informática vendo pornografias, pensei em ir até o departamento e falar com "eles", mas conclui, vou ter que me humilhar, mentir para várias pessoas desconhecidas,que não estão nem aí para mim, vão me dizer que isso é irreversível;que eu deveria de ter pensado nas consequências ante de aprontar;como eu choro muito fácil, iria chorar, saindo lágrimas do olhos, não de "berrar",pois isso é coisa de criança, eu detestava que as pessoas, me vissem chorando, porque me achariam alguém frouxo, e não sabem o que de "coisas" que tive de superar; então pensei, não tenho:mãe, pai, filho e nem "carinho" por ninguém em particular; não tenho força sobrenatural, parece que só eu que não posso errar, que já vem o juízo de Deus; e nem posso contar com Ele, pois nem sou fiel, também eu pensava ser fiel ao o que, ou mesmo a quem em meio a tantas mentiras...

  

   Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.                            1 Coríntios 11:31.

    Me julguei e me condenei, pensei vamos ver quantos dias eu consigo "sobreviver" sem comer, e sem cometer pecados de pensamentos já que outros pecados já não são possíveis, assim se eu conseguir morrer sem cometer pecados,não tem como Deus me condenar, sem  ter nenhum real no bolso, consegui chegar a uma cidade Satélite de Brasília, não me recordo o nome, fiquei 3 dias morando na "rua", sem comer, tentando não "pecar" em pensamento, mas de uma hora para outra, perdi a vontade de morrer e decidi tentar "viver" mais uma vez...Fui em uma igreja Assembleia de Deus, por volta de 18:00 horas e dobrei os joelhos e apresentei a  situação para Deus, passado algum tempo, "alguém" falou nos meus ouvidos, seu pedido foi atendido, fiquei indignado, pensando ser um dos "irmãos", e abri os olhos para lhe falar "algo", não tinha mais minguem além de mim...

      Alguns anos depois, encontrei com Carlos em Barra do Garças, ele me disse que só depois de muitos dias, que eu havia desistido, fizeram uma reunião com o "Colegiado da Pós-Graduação" para cancelar o pagamento da minha "bolsa" de novembro, devido a minha desistência do Curso, no entanto o pagamento de outubro só JEOVÁ sabe o que aconteceu.

      Muitos acreditam que eu recebi a bolsa de estudo de outubro, do corrente ano, gastei o dinheiro indevidamente, e depois desisti do Curso, isso não é verdade! 

   Mas eu falarei ao Todo-Poderoso, e quero defender-me perante Deus.
Jó 13:3


      Em  2002 fui aprovado o concurso do Município de Barra Garças para professor de matemática. Em julho do mesmo ano fui convidado para ensinar Análise Matemática Real no ICLMA, campus da UFMT, o contrato seria de julho de 2002 à julho de 2004. Por volta do mês de janeiro de 2004 me envolvi com uma mulher, depois de alguns dias descobri que ele era usuária de pasta base de cocaína, quando saiamos eu sempre estava sobre efeito de álcool, não dei importância para isso, certo dia ela me chamou para "usar", aceitei, no começo, minha auto confiança foi ao extremo, não me atrapalhava nas minhas atividades, mas depois de algum tempo, eu já não conseguia ter responsabilidade para assumir meus compromissos, por fim, faltando apenas uns 20 dias para terminar meu contrato no ICLMA, não consegui mais ir lecionar, perdi um diário de classe e entreguei os outros dois em branco, minha vida "desandou" de novo...

 

MINHAS INTERNAÇÕES


Tomando a primeira atitude:

No mês de fevereiro de 2006, a professora Ivete, estava indo de carro, pra cidade de Goiânia, ela já tinha falado com a secretaria de educação que eu iria com ela pra fins de internação.
Já em Goiânia, fomos ao Pronto Socorro psiquiátrico e agendaram uma consulta, mas a equipe de triagem, disseram que o meu "caso", por eu ser de outro estado e não estar com aparência tão ruim, não poderiam dispor uma vaga do SUS pra mim, que procurássemos um Centro de Recuperação, nos deu uma lista deles.

A internação:

Fui para o "Centro de Recuperação Nova vida", no bairro Jardim Guanabara, setor das Mansões, Ivete tinha ficado responsável em pagar a minha mensalidade, o meu salário seria depositado na minha conta. Uma determinada "mulher", que não vou citar o nome, havia dado o dinheiro pra Ivete pagar todas as despesas que ela gastasse comigo, ela ficou com meu cartão magnético e repassaria o dinheiro das mensalidades pra Ivete.

Atividades da casa:

O diretor do Centro tinha o nome de Francisco, e tinha dois Obreiros Elton e Juliano, Elton morava no Centro de Recuperação. Levantávamos as 6:00 horas, logo após comíamos pão com "epa*" e tomávamos chá de manhã.Todas as atividades dessa casa eram feitas pelos internos, que eram:limpar o pátio,casa, cozinhar, lavar o chiqueiro, tratar dos porcos, limpar os quartos,tinha uma escala, os demais internos, fabricavam "sacolinhas de confecções, usava-se apenas um processo de dobrar e colar, para fazê-las", tinha estudos bíblicos duas vezes ao dia, "cultos algumas noites, as vezes tinha pessoas de fora" e íamos para igreja aos domingos,de manhã e de noite.Das 16:00 às 18:00 era banho e atividades livres, como tinha um aparelho de musculação por nome de "supino", eu Leonardo e outros nos exercitávamos, todo dia, porém só tinha jeito de exercitar a parte superior do corpo,nos entulhos Leonardo, encontrou "um metal", com o qual, ele disse que iria fazer um aparelho para exercitar as pernas, o guardou.
Certo dia, estávamos exercitando, um interno novato, pegou esse "metal", para fazer uma cesta de jogar basquete, quando Leonardo viu ele com o "metal" falou: esse metal é meu, o outro respondeu,não é meu, eu que achei,..., quase saíram no "braço", só não brigaram de fato, porque chamaram o "missionário" que estava substituindo alguns dias o diretor do centro,esse missionário, dizia que esteve fazendo missões na Africa, chegou ele e os outros dois obreiros, acalmaram se os ânimos, mas o missionário disse que por um mês ninguém se exercitaria, eu lhe disse, mas eu nem estava na confusão, ele respondeu, estou agindo na direção do Espírito Santo, na hora da raiva respondi, se você esta com algum espírito é o do diabo, ele falou você vai passar o restante do seu "tempo" aqui lavando o chiqueiro, eu já estava com quatro mês, lhe falei que nada, volta pra Africa e vai evangelizar os índios, ele falou agora você vai é ser expulso daqui, vou jogar suas coisas no meio da rua.Chamaram diretor e relataram o acontecimento. O diretor me disse, que eu poderia terminar o "tratamento", que era de 7 meses, mas por um mês eu teria de lavar o chiqueiro, eu lhe disse, que só lavaria pela escala de serviço, daí ele me falou que se eu fosse embora, fariam um relatório e enviariam para o INSS, para que cancelassem o meu salário, falei pode mandar, pensei, eu nem recebo pelo INSS. No ato da internação, o responsável tinha que deixar o dinheiro de comprar uma passagem para o interno ir embora.

Tomando outro rumo:

Não fui para Barra do Garças, fui para Nova Xavantina, a mulher que estava com meu cartão magnético, me entregou o cartão em Xavantina.Como o afastamento era de 7 meses, passei a frequentar o CAP'S.Terminado os 3 meses peguei uma declaração do CAP'S, e apresentei para a secretaria de Educação(Fátima), ela sugeriu que eu continuasse o "tratamento" no CAP'S de Barra do Garças, até terminar o ano letivo,por outro afastamento.
Em 2007, não consegui trabalhar nem 3 meses, começaram as sucessivas recaídas.Tive de voltar a frequentar o CAP'S, o restante do ano letivo.
Em 2008, não assumi sala de aula, fiquei na biblioteca da escola, mas consegui trabalhar o ano todo, tive várias recaídas, mas não refletiram no meu serviço.
Em 2009, assumi sala de aula, tive poucas recaídas, consegui trabalhar o ano todo.

Perdido de novo:
Em 2010, consegui, com várias faltas trabalhar até junho.No mês de julho,e parte do mês de agosto,usei droga todo dia, pois quando acabava o meu dinheiro, eu fazia o que se chama de "correria", comprava a "nóia" para os outros e ficava com uma parte do que eu comprava.Já me lembrava vagamente que tinha um emprego na escola.No mês de agosto, foram onde eu estava morando, a secretaria de Educação(Silvia) e a coordenadora da Escola(Laci), peguntaram se eu queria ser internado, falei que sim.

Segunda internação:

Passei a ser interno no Centro de Recuperação Resgatando Vidas, situado a uns 20 km de Cuiabá em uma chácara, no dia 11 de agosto de 2010.
Tinha um Obreiro Geral, chamado Walter,sua mulher morava com ele lá, um Obreiro auxiliar, chamado Gutemberg, era interno,também.Levantávamos as 6 horas, das 7 as 8 da manhã tinha um culto, dirigido pelos próprios internos, de 8 as 10 "labo terapia", que era: alguns buscavam lenha, porque o fogão era a lenha,tinha o cozinheiro da semana, outros enchiam os tambores de água, pois não tinha água encanada, mas passava um córrego bem próximo, outro fazia limpeza da casa, das 10:30 as 11:00 era um período de louvor.11:30 almoço, de 14:00 as 15:00 era reservado para estudos de provérbios, cada dia se estudava um capítulo do livro de provérbios, por exemplo dia 1 estudava o capítulo 1.Das 15:00 as 16:00, outra "labo terapia", das 16:00 as 18:00, período de lazer, segunda, quarta e sexta tinha culto a noite, sábado consagração até meio dia, isto é, jejuar,orar e louvar das, 6 horas até 12 horas.
Passado alguns dias que eu havia chegado, Michael o primeiro interno que conheci me contou, um acontecimento, o qual achei um absurdo.Que foi:Estava tendo um culto, no qual estava presente a sogra de Walter, o qual estava dirigindo o culto, este deu uma oportunidade, para sua sogra, que começou contar uma "profecia", um dos interno começou a rir dela, no culto mesmo, Walter e outros, dois internos, que queriam ser Obreiros, deram tanta paulada no interno, que estava rindo, que Reinaldo, o pastor do Centro,foi buscá-lo no outro dia,estava todo machucado,mas segundo Michael, Walter inventou uma história e Reinaldo acreditou.Perguntei para outros, sobre essa história, eles confirmaram, depois de duas semanas Michael foi embora.
Esses fatos, eu presenciei: Walter fazer um interno ir embora andando, pois eram quase 20 km distante da cidade, depois de lhe dar várias pauladas e pedradas, ameaçar outros que por medo iam embora andando.
Quem ficava a frente do provérbio, era Gutemberg, mas Walter resolveu ficar a frente desse trabalho,já tinha uns vinte minutos, e Walter só falava de si, não me segurei e falei,eu não quero ouvir suas histórias,quero participar do provérbio,ele falou você não precisa ficar aqui, você acha que porque a secretaria de Educação te pois aqui, eu não faço você ir embora, pode arrumar suas, coisa que você vai é agora, eu falei eu não cheguei aqui andando, também, não vou sair andando, ele falou, quer pagar pra ver, respondi, posso até ir, mas vou direto pra uma delegacia de policia, depois disso ele se acalmou um pouco,e falou que iria ligar pra Reinaldo vim me buscar.Depois ele foi falar comigo, que não precisava eu ir embora, poderia ficar, isso era resultado do estresse do dia a dia, fizemos uma oração e ficou tudo bem.
Walter falou pra Reinaldo que queria outra pessoa a frente do provérbio, pois Gutemberg, estava muito sobre carregado.Reinaldo mandou me colocar a frente do proverbio, ele não queria mas teve que aceitar, Gutemberg me contou isso depois.

Defendendo a justiça:

No mês de setembro foi internado um policial militar no Centro,por nome Pedro, depois de uns dias um amigo de Pedro, chamado Plínio.Num certo dia Plínio, faltou o culto da noite, daì Walter queria fazer Plínio ir embora, naquela mesma noite, Pedro conversou com ele, e conseguiu que Plínio ficasse.
Contei pra Pedro as coisas que tinham acontecido naquele lugar, então criamos um grupo que não aceitaria mais as barbaridades de Walter, tinha uns 20 internos, doze passaram a integrar o grupo, interessante que a maioria dos integrantes, não sabiam quem tinha sido o idealizador do grupo, tivemos algumas reuniões secretas, Plínio era o mais empolgado, ele dizia que deveríamos passar essa ideia para os centros de recuperação .
Certo dia, quando fui chamar o pessoal para o provérbio,um rapaz que estava a poucos dias internado, falou que estava sentido muitas dores no corpo, ficou deitado, passado uns minutos Walter viu ele deitado, me perguntou se eu o tinha chamado, eu disse que ele estava doente, Walter falou: que mentira eu vi ele saltando no córrego ontem, pegou um porrete e foi chamar o rapaz, e falou, ou ele ia participar do Proverbio ou "já pegava andando", eu chamei o grupo, falei que tínhamos que fazer alguma coisa, chamamos Gutemberg, e pedimos pra chamar Walter, falamos pra Walter que não iriamos aceitar ele agir dessa forma, ele aceitou, disse que tinha sido um momento de raiva, pois estava só, nem Gutemberg o apoiou e falou que não seria mais Obreiro, e os outros que não quiseram fazer parte do grupo preferiram não se envolver.No lugar de Gutemberg, Reinaldo mandou colocar Damião. como Obreiro auxiliar.
Internaram lá também um policial civil, de nome Edson.Contamos os acontecimentos e chamamos ele pra fazer parte do grupo, ele aceitou, mas como ele tinha levado um aparelho celular que tinha que ficar com Walter,como ele queria ficar fazendo uso do celular, acabou cultivando amizade com Walter.
Num domingo, Edson pegou o celular com Walter para fazer uma ligação, depois de alguns minutos, começou uma grande confusão, entre Edson e Walter, um acusava o outro de ter estragado o celular, Walter já estava com um porrete na mão, logo em seguida chegaram Reinaldo e a família de Pedro.Os dois ainda estavam alterado, Walter chamou Reinaldo a parte e conversou com ele.Depois disso, Reinaldo falou para Edson arrumar suas coisas porque ele iria embora, então Edson disse: esse obreiro, bate nos internos,expulsa sem motivo algum, estragou meu celular, e fica me culpando, Reinaldo falou, isso é história.Eu falei, é verdade, esse Obreiro é um desequilibrado, não pode ficar à frente da "Obra". Então, Walter não se conteve, e falou, vou mostrar pra você e para esse policial quem é desequilibrado, pegou várias pedras e começou a jogar em mim e em Edson. Então Reinaldo percebeu que o caso era sério, eu corri, ele correu atrás de mim jogando pedras, eu fui para o córrego, consegui distanciar dele.Reinaldo levou Walter embora, Damião, ficou como Obreiro Geral e eu passei a ser o Obreiro auxiliar.Depois Damião sugeriu para Reinaldo que tivessem mais um obreiro, Damião, sugeriu Daniel.
No começo de novembro, logo cedo, Damião me chama e entrega o telefone celular, e diz estou indo embora, agora você é o Obreiro Geral.O telefone celular era o simbolo de poder no centro de recuperação, liguei para Reinaldo e informei o fato.Ele me disse que eu ficasse atento para os acontecimentos.Um certo dia um interno quando estava indo embora, falou que eu poderia ficar com o ventilador que ele tinha comprado de Kevini, outro que já tinha ido embora.Depois de vários dias o pai de kevini trouxe ele de volta.Ele ficou sabendo que o ventilador estava comigo, foi e falou para eu lhe entregar o ventilador, que ele não tinha vendido, mas emprestado.Eu falei que não iria entregar a ter certeza da historia, ele falou alterado, entrega o meu ventilador seu "veadinho", na hora a vontade foi pegar o ventilador e arremessar nele, mas me lembrei do descontrole de Walter, e apenas entreguei o ventilador para ele.
Nos cultos todos recebiam oportunidade para Pregar a Palavra de Deus, mas alguns apenas liam João,11:35.Gutemberg, era muito eloquente nas orações, e queria ser Pregador da Palavra de Deus nas igrejas, nos culto da "casa" sempre que Pregava, depois em particular em perguntava como havia sido, na minha opino, eu lhe dizia, que tinha sido excelente, mas ele precisava aprender a finalizar, pois parecia que a Pregação teria continuação.Gutenberg contava, que depois que sua mãe morreu, ele e seu irmão venderam a casa que receberam de herança e gastaram tudo usando "nóia", chegou a pesar 50 quilos, ele tinha 1metro e 80 centímetros, seu peso normal eram mais de 80 quilos.
Kevini não ajudava fazer nada da casa, quando não faltava, chegava atrasado nos encontros, certa vez foi até em um bar que situava a uns cinco km e comprou uma carteira de cigarro, que eu achei e joguei no fogo.Contei tudo isso pra Reinaldo, mas ele dizia, que seu pai ajudava muito a "casa", por isso era bom ter Kevini na "casa".
Michael havia retornado, e tinha feito amizade com Kevini, agora parecia que Kevini iria mudar de atitude.Michael, alguém que tinha um profundo conhecimento de Jeová, pregava a Palavra de Deus, com bastante convicção e convencimento, mas não tinha firmeza era, "sair e cair". Certo dia Michael me diz, Kevini e Crespin, estão ali em cima fumando maconha, isso não pode acontecer aqui.Foi eu, Daniel e Michael, quando chegamos lá, Michael se descontrolou e foi para cima de Kevini, e começou a lhe bater e empurrar e chamá-lo de irresponsável,batia com força, mas com a mão aberta, no rosto de Kevini, parecia um pai batendo no filho, Kevini que não conseguia reagir, apenas correu,pensei cadê aquele machão que me chamou de "veadinho", nesse momento já estavam todos os internos juntos. Michael me falou agora vou ter que ir embora, me descontrolei, se distânciou do grupo, passou um pouco chega Kevini, e me pede o celular para ligar para o seu pai, eu lhe falei, não vamos ligar pra ninguém até todos acalmarem, ele falou não vai emprestar, e me deu um murro na cabeça, que eu cai, ironia, cai de joelhos,eu não esperava uma reação dessa daquele covarde,os internos foram todos pra cima de Kevini, que correu para o mato.No outro dia a noite o pai dele foi buscar as coisas de Kevini.

Terceira internação:


Achei que conseguiria segurar a "onda", voltei para Barra do Garças,já estávamos no mês de dezembro.Tive duas, recaídas e achei por bem me internar novamente, em Bom Jardim, no Centro de Recuperação de nome, missão Ebenézer.Fui para lá em janeiro, mês de férias dos professores, não precisei de afastamento, só comuniquei com a secretária de Educação.
Fiquei internado, janeiro e fevereiro, meus planos seria ficar até maio.Fizeram uma campanha de oração de madrugada, todos os internos, eram obrigado a participar, orar no monte, de 4:00 ás 6:00 da madrugada. Em um determinado dia,eu estava com muito sono quando me chamaram, então falei que não iria, porém não fui, não consegui mais dormi, e iria ser disciplinado, sem nem ter conseguido dormir novamente.A disciplina funcionava assim: no horário de descanso tinha que escrever o salmo 119 . Arrumei minhas coisas e fui embora, antes do pastor Jair chegar, pois ele tentaria me convencer a ficar. Já na cidade o diretor, por nome Cesar me encontrou, tentou me convencer a voltar, falei que não voltaria, ele então falou que mandariam um relatório para a prefeitura dizendo que eu interrompi o tratamento, eu lhe disse FAÇA ISSO... Fui para Montes Claros de Goias, pois precisava fazer a terceira via do RG.

*epa= não tem, margarina,não tem presunto,não tem ovo...
Algumas recaídas
... ... ... ... ... ... ... ... ...
Perdendo a racionalidade e acreditando em milagres:

Quando eu era criança, ouvia as pessoas comentarem sobre o APOCALIPSE o "desespero"
que seria;

as pessoas buscariam a morte, mas não acharia(Ap.9:6), eu acreditava em tudo.Estudei muito, li vários livros, procurarei conhecer diversas teoria sobre a origem humana, conversei com pessoas supostamente "esclarecidas", lia a bíblia e não entendia, vi um Deus egoísta e com preferências por algumas pessoas, vi contradições, em fim deixei de acreditar.
Nos nove anos que fui usuário de "pasta base de cocaína", por diversas vezes imaginei que o APOCALIPSE estivesse acontecendo, o desespero de querer mais "droga" quando acaba o que se esta usando, é tão grande, é como se tirassem o seu "chão",e depois quando se esgota todas as possibilidades de se continuar usando, vem o desespero, a fome a depressão,a angústia, eu tentei morrer eu não consegui,as pessoas não estão nem aí pra você, não conseguem ver o tamanho do seu desespero, o seu abalo mental...Agora acredito em tudo novamente, e entendo quando o SENHOR JESUS disse: para herdar a vida eterna é necessário nascer de novo...
Ainda veio a mim a palavra de JEOVÁ, dizendo: Que é que vês, Jeremias? E eu disse: Vejo uma vara de amendoeira.
E disse-me o JEOVÁ: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la
Jeremias 1:11-12

No Mês de Julho de 2012, numa sexta feira, recebi meu salário. De noite, fui procurar uma "namorada", bebi algumas cervejas, e desisti de procurar a "namorada" e fui atrás da pasta base de cocaína, gastei todo o pagamento, vendi o aparelho celular, colçhão, cobertas, roupas,"TIVE QUE DORMIR DEITADO NO CIMENTO, SEM TER NADA PARA ME COBRIR"...,após terminar todas as formas de se continuar o uso da "droga", fui me deitar, ainda na sexta de madrugada, porque, dormi só consegui sábado a tarde, acordei no domingo com fome, com depressão, angustiado,sem saber o que fazer, sem nenhuma vontade de viver, pensei, não quero mais saber, de igreja, de bíblia, nem de DEUS, pois se Ele, tivesse algo comigo eu não teria "caído", mais uma vez,..., de repente veio, a voz da razão, sem Deus eu não vou consegui atravessar mais "deserto", com Deus vai ser difícil, mas eu vou conseguir atravessar mais esse ..., Sem pai, mãe, nem irmão legítimos e SEM TER temperamento para ficar pedido COISAS aos "outros", mas fui na casa de um "AMIGO", falei: Jarbas, queria ver com você se eu poderia almoçar na sua casa, quando eu receber meu salário, eu ajudo nas despesas, lembra daquela bíblia que você comprou pra mim parcelada pela internet, eu paguei certinho,ele me disse, e seu pagamento? Você gasta tudo "a toa" e quer viver a custa dos outros,...mas eu vou falar com meu pai, o pai dele disse, a empregada só cozinha pra nós, não tem jeito, tem muitos restaurantes na cidade,...Acreditem não precisei pedir a mais ninguém, e a ajuda veio, passei por mais essa sem perder a dignidade, como registra esses salmos: Os passos de um homem bom, são confirmados por Deus, AINDA QUE CAIA, não ficará prostrado, fui moço e agora já sou velho, mas nunca vi um justo desamparado, nem sua descendência mendigar o pão, Salmos,37:23,24,25. Observe que o justo não fica desamparado, porém pode vir a mendigar o pão, pois ele(Davi) próprio mendigou, mas sua descendência não mendiga o pão nem fica desamparado. . . .

Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.
1 Timóteo 6:7

Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.
Isaías 49:15

Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? e nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai.
E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados.
Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos.
Mateus 10:29-31
O justo ainda que caia não ficará prostrado...
Em dezembro de 2012, tive duas recaídas ao uso de Pasta Base de Cocaína, na última dia 29, dessa vez me sobrou 32 reais, mas não paguei o aluguel, o mês de janeiro é de férias, porém eu não tinha onde ficar, nem onde me alimentar, sem pai, sem mãe,sem irmãos legítimos, conheço muitas pessoas, se fosse pedir ajuda a elas, seria ouvir muitos sermões para pouca, ou mesmo nenhuma ajuda. ... Lembrei de um "conhecido" que eu havia encontrado a uns dez dias anterior, já fazia vários anos que eu não o via, perguntei pra ele se eu seria bem vindo na casa que dele que era em uma fazenda em trabalhava, ele disse que sim.Depois que você envolve com "drogas", já não se é bem vido em lugar algum...Teria de sair do lugar que estava morando dia 31, passei o dia todo deitado sem saber o que fazer, de noite resolvi tentar chegar nessa fazenda que já nem lembrava mais o nome, apenas que era antes de chegar em uma cidade por nome Indianópolis(Pindaiba), e que tinha 3 casas amarelas,mesmo assim fui, não era a primeira, vez que eu colocava a minha vida nas mãos de "DEUS", pois de descesse no lugar errado, ficaria de noite em uma "rodovia"(no mato), sem dinheiro, sem poder ir para frente nem para trás, mesmo assim arrumei minhas coisas que couberam em duas mochilas e fui.............
_____
_____________________


LIBERDADE É PODER ESCOLHER

...Pensei que jamais conseguiria superar minha conquista de conseguir ser aprovado no Mestrado em Matemática da UnB, pois me alimentava de maneira inadequada,DOIS ANOS SEM COMER COISA ALGUMA AOS SÁBADO E DOMINGO, ÁS VEZES SEXTA, SÁBADO E DOMINGO,O MEU "ALMOÇO", APENAS UM X_SALADA, JANTAR ERA UM "SONHO"... PARA PAGAR A PASSAGEM E IR PARA BRASÍLIA, PARA FAZER O PROCESSO SELETIVO DO MESTRADO, TIVE DE VENDER O BOTIJÃO DE GÁS, PARA COMPLETAR O DINHEIRO DA PASSAGEM,
POIS TIVE CERTEZA QUE SERIA APROVADO.
MORAVA EM UMA CASA Q ESTAVA SEM LUZ ELÉTRICA E COM O FORNECIMENTO DE ÁGUA CORTADO, olha q trabalho desde os 10 anos(vendendo laranjinha,depois picolé),não tinha ninguém para me ajudar nas despesas pessoais para que eu pudesse estudar, superar os "conflitos emocionais"... No dia de fazer o PROVÃO DO MEC, num domingo sem ter comido coisa alguma no sábado e sem comer nada até então andar quase 5 km de distância para fazer essa prova q era obrigatória, se não fizesse, não receberia o diploma...Mas, hoje vejo q minha maior conquista foi receber uma libertação da dependência química, a saber pasta base de cocaína, quando percebi q não conseguiria sair com minhas próprias forças, sobre o efeito da droga tive várias tentativas de suicídio, nas minhas internações ouvia falar que JESUS libertava, conheci algumas pessoas q "ganharam" essa libertação, acreditei porém achei q não chegaria a tempo pra mim...Hoje digo: Eu não apenas ganhei, Eu conquistei, mesmo angustiado li por várias vezes toda a bíblia, fiquei de joelhos dobrados por mais de 3 horas por várias vezes, mesmo imediatamente após as recaídas consegui ir para igreja com aquela cara de "nóiado", não conseguia nem olhar para as pessoas, o tempo todo de joelhos dobrados na igreja...Porque falo q esta conquista é maior de TODAS, pois recebi algo CELESTIAL, a "DROGA" esta lá no mesmo lugar, eu sei onde tá, mas não vou buscar para usar, sei que um dia isso será apenas uma lembrança bem distante,não vou mais usar pois conheço as consequências...

Agora fui mais longe ainda, memorizei 750 versículos e consigo reproduzi-los mentalmente, em 40 minutos, isto é, "mentalizo o livro o capitulo e o que está escrito no versículo, vou de Gênesis a Apocalipse, passando por todos os livros", quando quero ser rápido faço em  40 minutos; é "sobrenatural"
_____________________
Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro.
Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado;
Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.

2 Pedro 2:20-22
Obs.:Sobre efeito de "drogas", eu fiz coisas vergonhosas, ... contudo, o que foi "permitido", eu relatei, além disso, eu não vou quebrar, dois princípios Universal, a saber, o direito de ficar em silêncio, quando julgado, o outro que ninguém é obrigado a fornecer Provas para sua própria condenação, o que me importa, é que em TODOS, mentalmente eu me justifiquei com JEOVÁ, porque estava fazendo aquilo,
ou seja, só tenho que me justificar com Deus.

Os Olhos de JEOVÁ estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons.
Provérbios 15:3

...      ...     ...   ...     ...    ...    ...    ...

No dia 23 de fevereiro de 2016, uma mulher por nome de Adriana foi na escola que eu trabalho, a saber eu trabalhava na Escola Elizabet Sanches no laboratório de informática, e disse para a diretora que no ano letivo anterior eu tinha abusado sexualmente da filha dela na hora do recreio, a diretora lhe disse que era absurdo a acusação dela, pois primeiro eu não ficava lá na escola na hora do recreio da manhã, depois como em um lugar com mais de cem criança correndo para todos os lados ninguém viu nada. De repente eu sai do laboratório, ela me viu eu foi pra cima de mim com murros, tentando me derrubar, me dava unhadas, eu só protegi o rosto, alguém segurou ela, e eu fui para sala dos professores. Não bastasse ela chamou polícia que me conduziram para a delegacia, me disseram que não estava sendo preso, mas eu fui no porta mala da viatura, e fiquei no "chiquerinho", da delegacia, de 4 da tarde até meia noite. Não bastasse ainda, essa mulher, colocou minha foto no facebook e "watzap", dizendo que eu havia aliciado 2 crianças na determinada escola. No dia 24 do referido mês, quando eu estava indo trabalhar fui atacado por um homem que tentou me enforcar, e gritava: "Se você "mexeu" com a minha filha eu vou te matar", eu consegui me livrar dele, mas torci o pé, mesmo com o pé torcido eu corri, ele correu atrás, porém não conseguiu me alcançar.... Agora quando as pessoas me veem na rua, me xingam, me ameaçam, pois não sabem como realmente aconteceu a acusação, fantasiam que houve situação para o acontecimento. Eu tenho "voto" de nazireu, ou seja, se eu fizesse uma coisa dessa, meu "voto" seria inútil. Muitos pastores dizem que esse "voto", não existe mais, que JESUS, "levou" tudo sobre a cruz(Isaías 53:4), se fosse verdade o "maior" fundamentalista do do Evangelho, Paulo que se tornou Apóstolo depois da morte de JESUS, não teria voto de nazireu, que é constado em: Atos 18:18 e Atos 21:26 ...


No mês de março do ano de 2015, fui chamado na sala da diretora, para falar com ela c com a coordenadora; as quais me disseram que várias mães de alunos haviam ido na escola, pois não queriam que eu trabalhasse na escola, devido a terem ficado sabendo do meu envolvimento, com "drogas", não sei todo o teor da conversa, mas segundo elas, a diretora e coordenadora, me defenderam, porém a partir daquele momento a professora da turma de alunos, sempre deveria estar junto com os alunos, quando estivessem no laboratório; também que eu evitasse, contatos, com os alunos; minha vontade, na hora, foi ir até a secretária de Educação e pedir para trabalhar em outro lugar, mas à alguns dias anteriores, Deus havia me falado em sonho, que não era para eu pedir para sair da escola, agora quando mandassem eu sair, eu poderia ficar tranquilo porque, era Ele que estava mandando eu sair... .


Nenhum comentário:

Postar um comentário